U2

U2

U2 é uma das mais importantes bandas de rock de todos os tempos. Formada em 1976 em Dublin, composta por Bono (vocalista e guitarrista), The Edge (guitarrista, pianista e backing vocal), Adam Clayton (baixista), Larry Mullen, Jr. (baterista e percussionista).

Desde a década de 80, U2 é uma das bandas mais populares no mundo. Seus shows são únicos e um verdadeiro festival de efeitos especiais, além de serem um dos que mais arrecadam anualmente. As vendas giram em torno dos 145 milhões de álbuns mundialmente. Já ganharam 22 Grammy's (mais do que qualquer outra banda).

Além da empreitada musical, eles são também conhecidos pela sua participação ativa em causas políticas e humanitárias, em especial o líder, Bono. Ele tem participado ativamente em várias campanhas e apelado a líderes do mundo inteiro a fim de obter apoio na sua luta contra a fome, sobretudo nos países mais pobres. Essa "obsessão" de Bono levou a incomodar os membros do grupo e quase levou o U2 ao fim em tempos passados. Porém, isso foi revertido e ele conta com o apoio deles na sua causa.

A banda foi formada em Dublin em Outubro de 1976. Larry Mullen, Jr., com apenas 14 anos pôs um anúncio na escola à procura de músicos para uma nova banda. A resposta resultou num grupo de 5 elementos baptizado de “Feedback”, que incluía Mullen na bateria, Adam Clayton no baixo, Paul Hewson (Bono) (voz), Dave Evans (The Edge) na guitarra e o irmão de Dave, Dik, também na guitarra.

Após 18 meses de ensaios os “Feedback” mudaram o nome para “The Hype”. A banda tocou com este nome num concerto para a descoberta de novos talentos em Limerick na Irlanda em 17 de Março de 1978, tendo ganho o concurso. Jackie Haden, da “CBS Records”, que fazia parte do júri, ficou impressionado com a banda tendo-lhes dado a oportunidade de gravar a sua primeira demo.

O punk rocker de Dublin Steve Averill (mais conhecido como “Steve Rapid” dos “Radiators from space”) disse que os “The Hype” não prestavam, pelo menos no nome. Adam tinha ficado amigo de um roqueiro influente da época, que deu várias dicas de nomes para a banda e sugeriu também "U2" (que tanto pode significar "U-2 " - nome de um avião espião utilizado pelos EUA durante a Guerra Fria que fora abatido pela URSS poucos dias antes do nascimento de Paul Hewson-Bono, como VOCÊ TAMBÉM, já uma alusão ao engajamento da banda) que foi bem aceito.

Há quem sugira que o nome “U2” é baseado na filosofia do grupo, que acredita que a audiência faz parte da música e dos espectáculos e como tal “you too” (você também) participa do espectáculo.

Dick saiu em Março de 1978, e a banda fez-lhe um concerto de despedida. Reduzidos a quatro elementos, lançaram o seu primeiro single em Setembro de 1979, “U2-3” de seu nome, que chegou ao topo das tabelas na Irlanda. Em Dezembro desse ano rumaram a Londres para realizar os seus primeiros concertos fora da Irlanda, não tendo conseguido grande atenção do público ou da crítica.

Boy/October

Em Março de 80 assinam pela Island Records que em Outubro edita o seu primeiro álbum “Boy”. Seguidamente partem para a sua primeira digressão fora do Reino Unido. Em 1981 editam o segundo álbum, intitulado “October”. Os fãs e a crítica depressa deram conta do carácter espiritual das letras da banda; Bono, The Edge e Larry, menos Adam eram cristãos assumidos, e não faziam nada para esconder tal facto. Estes 3 membros cristãos da banda juntaram-se a um grupo religioso de Dublin chamado “Shalom”, o que os levou a questionar a relação entre a fé cristã e o estilo de vida baseado no rock.

War

Em 1983, o grupo edita o álbum “War” que incluía “Sunday bloody Sunday”, que falava da situação entre católicos e protestantes na Irlanda do Norte. O primeiro single do álbum, “New year’s day”, foi o primeiro êxito internacional da banda, tendo chegado a nº 10 no Reino Unido e quase entrou no top 50 dos EUA. A MTV deu grande destaque ao vídeo desta música, o que abriu as portas ao mercado americano. Pela primeira vez realizaram concertos com lotação esgotada tanto no Reino Unido como nos Estados Unidos dos quais resultaram a gravação ao vivo do EP “Under a blood red sky” e também de um vídeo.

The Unforgettable Fire

A banda começou a gravação do seu quarto álbum com produção de Brian Eno e Daniel Lanois. “The Unforgettable Fire”, (assim chamado devido a uma série de pinturas feitas por sobreviventes do bombardeamento atómico de Hiroshima e Nagasaki), foi editado em 1984. A música “Pride (in the name of love)” era dedicada a Martin Luther King, e chegou a nº 5 de vendas no Reino Unido e ao top 50 nos EUA.

A Rolling Stone Magazine chamou aos U2 a “Banda dos anos 80”, dizendo que para um número crescente de fãs, os U2 eram a banda mais importante, senão mesmo, a única importante.

Live Aid

O concerto Live Aid, de ajuda contra a fome na Etiópia em 1985, foi visto por mais de um bilhão de pessoas por todo o mundo. Embora os U2 não fossem considerados como “banda de cartaz”, a sua versão de 13 minutos de “Bad” tomou conta do espectáculo, com Bono a abandonar o palco para ir dançar com uma espectadora. Em 1986, os U2 participaram também numa série de concertos de apoio à Amnistia Internacional, esgotando arenas e estádios por todo o mundo. Como consequência disto a Amnistia Internacional viu triplicar o seu número de membros.

The Joshua Tree

Em 1987 foi editado “The Joshua tree”. O álbum entrou directamente para número 1 de vendas no Reino Unido e depressa chegou ao mesmo lugar nos EUA. Os singles “With or without you” e “I still haven’t found what I’m looking for” tiveram o mesmo êxito. Foram a quarta banda a ter direito a uma capa da Time Magazine, (as outras três tinham sido os Beatles, The Band e The Who).

A banda gravou e filmou diversos concertos da digressão de “Joshua tree” para o álbum e documentário “Rattle and Hum” em 1988 e editado em vídeo em 1989. O álbum tornou-se num tributo à música americana, tendo sido gravado nos estúdios da “Sun” em Memphis, gravado com Bob Dylan e B.B. King e cantado sobre a grande Billie Holiday.

Apesar de ter tido uma recepção positiva por parte dos fãs, a crítica considerou-o pretensioso, por pretender equiparar os U2 aos grandes nomes da música.

Achtung Baby, Zooropa, ZooTV

Após um período de férias a banda juntou-se em Berlim, nos fins de 1990 para começar a trabalhar no seu próximo álbum de estúdio; uma vez mais Brian Eno e Daniel Lanois foram escolhidos para o produzir. As primeiras sessões não terão corrido muito bem, mas a banda conseguiu mesmo assim apresentar o álbum em Novembro de 1991. Carregado de distorções e experimentalismo, o álbum foi muito bem recebido pelos fãs e crítica especializada.Achtung Baby é até hoje considerado um dos melhores álbuns do U2.Bono diz,a respeito do álbum,que é "o som de 4 homens derrubando o Joshua Tree a machadadas"

Nos princípios de 1992, começaram a digressão por terras americanas, chegando a ter a participação de Axl Rose em um dos shows. O espectáculo de multimédia, conhecido como “Zoo TV”, confundia as audiências, com centenas de ecrãs de vídeo, carros voadores e personagens como “The Fly”. Esta digressão era uma tentativa dos U2 gozarem com os excessos do rock, de forma a parecer que tinham abraçado a ganância e a decadência – por vezes mesmo fora do palco. Muitos não terão percebido isso, e pensaram que os U2 tinham perdido a chama. Seguindo o mesmo tema, voltaram a estúdio – num intervalo da digressão de “Zoo TV” – e gravaram “Zooropa” que foi editado em Julho de 1993.O suco de limão de "Lemon" (no início dos shows eles saíam de dentro de um limão gigante)e a coreografia estabanada em "Discoteque"(Principalmente de Larry Mullen Jr.,visivelmente consrangido em participar de tamanho mico)foram um fiasco total nos EUA.

Após algum tempo de descanso e de participarem em projectos paralelos como as bandas sonoras de “Batman forever” e “Mission Impossible", a banda editou um álbum experimental chamado “Original Soundtracks I”. Este álbum, que incluía a participação de Luciano Pavarotti em “Miss Sarajevo”, não teve muita divulgação e como tal, recebeu pouca atenção quer da crítica, tampouco do público.Larry Mullen Jr. o considera de longe,"O pior trabalho do U2.Pior até mesmo que 'Pop'"

POP e Popmart

No início de 1996 começaram a trabalhar no seu novo álbum. “Pop” foi editado em Março de 1997. O álbum chegou a 1º lugar de vendas em 28 países, mas teve críticas bastantes variadas, havendo quem achasse que a indústria musical tinha passado os limites da tolerância na promoção de “Pop”.

All That You Can't Leave Behind

No início de 1999 os U2 voltam ao estúdio novamente com Brian Eno e Daniel Lanois na produção. Depois da extravagante digressão “PopMart”, a crítica achou que os U2 estavam a tentar voltar aos tempos de “The Joshua Tree” por forma a tentar manter a sua legião de fãs. Durante as gravações a banda colaborou com o autor Salman Rushdie que escreveu a letra para a música de “The ground beneath her feet” baseado no seu livro com o mesmo nome. Essa e outras músicas fizeram parte da banda sonora do filme “The Million Dollar Hotel”, baseado numa história escrita por Bono, e realizado por Wim Wenders, velho conhecido da banda.

“All That You Can't Leave Behind” foi editado em Outubro e foi muito bem recebido, sendo considerado por muitos, (Rolling Stone incluída) a terceira obra-prima dos U2 ao lado de “Actung Baby” e “The Joshua Tree”. Chegou ao nº 1 de vendas em 31 países; o single “Beautiful Day” foi também um êxito por todo o mundo, tendo inclusive ganho três Grammys. A digressão que se seguiu, chamada “The Elevation Tour” quase foi cancelada devido ao ataque terrorista de 11 de Setembro, mas eles decidiram continuar, acabando por ser considerada a 2ª maior digressão de sempre (em termos de receitas), logo a seguir a “Voodoo Lounge Tour” dos Rolling Stones em 1994. Após o enorme sucesso do álbum e da digressão, muitos fãs da banda consideraram que ela podia ser considerada a “maior banda de rock do mundo” conforme tinha sido dito por Bono um ano antes.

Após o fim da digressão em 2001, os U2 tocaram três músicas em Nova Orleães durante o intervalo do Super Bowl XXXVI. Numa perfomance emocional de "Where The Streets Have No Name", o nome das vítimas do ataque de 11 de setembro, projectados numa cortina, flutuavam em direção ao céu atrás da banda. No fim da actuação, Bono abriu o seu casaco e revelou uma bandeira americana pintada no tecido. Essa imagem apareceria na capa de inúmeros jornais e revistas. Poucos meses depois, "All That You Can't Leave Behind" ganhou mais quatro Grammy Awards.

Bono continuou a sua campanha pelo perdão da dívida dos países mais pobres durante o verão de 2002.

No final de 2002, os U2 lançaram a segunda parte da sua colecção de grandes hits, o The Best of 1990-2000.

Os artistas de dance music LMC sampleou "With Or Without" na faixa "Take Me to The Clouds Above" que ainda incluiu letras de "How Will I Know" de Whitney Houston. Todos os quatro membros dos U2 autorizaram a faixa, que foi lançada com o título de LMC vs U2. Adam Clayton disse sobre a faixa: "É uma óptima batida e você pode dançar com ela. Eu gosto especialmente do baixo." A faixa liderou o top de singles do Reino Unido em Fevereiro de 2004, o top 5 da Irlanda e o top 10 da Austrália.

Em Abril de 2004, a revista Rolling Stone colocou os U2 entre os 50 "maiores artistas de rock & roll de todos os tempos".

Uma cópia não finalizada do novo álbum da banda foi roubado em Nice, França, em Julho de 2004. Em suma,o álbum foi bem recebido em vários países,como o Reino Unido,mas nos EUA foi recebido com frieza. O pesadelo "Pop" ainda rondava por lá.


O álbum How to Dismantle an Atomic Bomb foi lançado no dia 22 de novembro (23 de novembro nos Estados Unidos); entretanto, em 22 de julho Bono revelou que caso o disco fosse disponibilizado em redes P2P, ele seria lançado imediatamente através do iTunes e estaria nas lojas num mês. O primeiro single do álbum, "Vertigo", foi lançado no dia 24 de setembro de 2004. A música foi bastante tocada nas rádios e na primeira semana do seu lançamento estreou no 18º lugar na "Modern Rock Tracks chart" da Billboard e em 46º lugar na "Billboard Hot 100"

Em julho de 2006 a banda anunciou que iria começar a trabalhar no seu novo albúm, entretanto, as sessões não foram marcadas. A previsão é que o álbum não sairira antes do fim de 2007. Durante esse período de hiato, o U2 porém não parou de trabalhar. Em 2006, fizeram uma cover de "The Saints Are Coming" da banda escocesa The Skids juntamente com o Green Day, o single da música foi lançado e seus lucros revertidos para as vítimas do furacão Katrina que devastou os EUA naquele ano. As duas bandas fizerem uma apresentação ao vivo na reinauguração do SuperDome, estádio que também sofreu os esfeitos do furacão e serviu como abrigo para as pessoas vitimadas em Nova Orleans. Mais tarde, em Novembro do mesmo ano, a banda lançou a coletânea "U218", compilação de seus grandes sucessoas abrangendo desde "Boy" até o então último trabalho "How to Dismantle an Atomic Bomb", além de duas inéditas a já citada "The Saints...." e "Window in the Skies", ambas acabaram por gerar novos vídeos para banda.

Apesar de nehum lançamento oficial nesse período os integranes da banda não pararam de trabalhar. Bono continuou envolvido em suas campanhas humanitárias e juntamente com The Edge realizam toda produção da trilha do musical do Homem Aranha que deve estreiar na Broadway em 2010. No fim de 2008, atiçando mais ainda a curiosidade dos seus fãs para o novo disco, o U2 lançou uma cover de "I Believe in Father Christmas" de Greg Lake (Emerson Lake & Palmer), para a Red Campaign juntamente com um clipe para mesma.


No Line on The Horizon

Após 5 anosde espera, finalmente em Março de 2009 chega as lojas do mundo todo "No Line on The Horizon", que apesar de ter seulançamento vazado na internet devido a um descuido da própria gravadora da banda na Nova Zelândia, faz com que o U2 alcance o topo das vendas em diversos países do mundo, incluindo Estados Unidos, Reino Unido, Brasil, Portugal, Irlanda dentre outros.

Após algumas sessões de gravações com o produtor Rick Rubin - produtor de Justin Timberlake entre outros nomes da músic americana - O U2 não gostou muito do que havia feito e decidiu reeditar um parceria de sucesso: chamaram Brian Eno e Daniel Lanois para ajudar neste trabalho. As novas sessões de gravação ocorrem no Marrocos e em Dublin, com o U2 buscando sua reinvenção como sempre relevavam nas declarações feitas a imprensa. "O sentimento geral do novo álbum é que está cheio de ideias nunca antes ouvidas num álbum dos U2" - declarou The Edge.

"Get on Your Boots" primeiro single do trabalho pegou os fãs a banda de surpesa ao ser lançado nas rádios do mundo em 23/01/2009. Certamente essa era a úsica mais rápida que eles já haviam feito, com uma batida funk e excelentes riffs de The Edge, realmente era a chegada deles na nova era! Bono declara na música "Future Needs a big kiss" e pelo jeito encarar o futuro sem medo e com dignidade é tudo o que eles querem. A primeira apresentação ao vivo da banda ocorreu na edição do Grammy onde eles fizeram a abertura da cerimônia.

Por ocasião do lançamento do CD o U2 realizou trabalho de divulgação em diversos lugares, repetindo a estratégia do CD anterior no qual fizeram um show surpresa em Nova York, tocaram no alto dos estúdio da BBC em Londres para uma legião de fãs. Durante uma semana em março apareceram diariamente no programa de David Letterman, o Late Showda CBS norte americana, tocando suas novas músicas e antigos sucessos. Apresentaram-se também no Echo Awards na Alemanha dentro outras aparições especiais.

E para os fãs a boa notícia é que os irlandeses pretendem dentro em breve lançar mais um outro álbum com material sobressalente de "No Line..." : "Songs of Ascent", segundo Bono o novo trabalho "será mais arrebatador e meditativo, mas sem ser complacente", e deve chegar as lojas ainda em 2009.

Este álbum deu início à turnê 360°, com um palco no centro dos estádios com visão de 360 graus tanto do palco quanto do telão, onde a bateria se move e existem pontes que levam a um raio externo por onde circulam os músicos. Um espetáculo visual do nível dos shows da banda ao longo dos anos 90, pela sua magnitude.