NIK KERSHAW

NIK KERSHAW

Nik Kershaw (nascido Nicholas David Kershaw, 1 Março de 1958, Bristol, Inglaterra) é um cantor e compositor inglês, popular nos anos 80.

Apesar de ter nascido em Bristol, Kershaw cresceu em Ipswich e depois de deixar a escola secundária de Northgate em 1976, Kershaw trabalhou numa loja e no Departamento de Emprego durante vários anos, nos quais ele tocava guitarra e cantava numa série de bandas underground de Ipswich. No entanto, quando a última destas, Fusion, se separou em 1982, ele embarcou numa carreira a tempo inteiro como cantor e compositor. Em 1983, ele assinou contracto com a MCA Records, um acordo que deu origem ao seu single de estreia, "I Won't Let the Sun Go Down on Me". No início de 1984, Kershaw lançou o seu sucesso "Wouldn't It Be Good", com um videoclip em que Kershaw era um alien vestido com um fato de chroma key. A canção atingiu o número 4 no top de singles do Reino Unido e foi um grande sucesso na Europa, particularmente na Alemanha, Itália, Suíça e na Escandinávia e na Austrália. Ele teve mais 3 sucessos no Top 20 do seu álbum de estreia, incluindo a canção "I Won't Let the Sun Go Down on Me", uma reedição do seu primeiro single. Esta faixa foi o seu maior sucesso tendo atingido a segunda posição nos tops do Reino Unido.

O seu segundo álbum foi "The Riddle". A canção que dava o título ao álbum mostrou seu outro single de sucesso, e este álbum deu origem a mais dois singles de êxito no Top 10 britânico, "Wide Boy" e "Don Quixote", quando atingiu a platina. Neste tempo, Kershaw fez uma tour extensiva com a sua banda de apoio, The Krew, composta por Keith Airey, Tim Moore, Mark Price, Sheri Kershaw (a sua mulher), e Dennis Smith.

Em Julho de 1985, Kershaw estava entre os artistas presentes no Live Aid, no Wembley Stadium. A sua estrela começou a desvanecer pouco depois de desfrutar de outro single no Top 40britânico. Ele continuou a gravar e lançar discos e a colaborar com outros artistas. O seu álbum de 1986, "Radio Musicola", foi lançado com boas críticas mas pouco sucesso comercial e parecia que ele tinha crescido mais que o seu público alvo lançando álbuns mais "maduros". "The Works", o seu último álbum dos anos 80, foi lançado em 1989 e não teve muito sucesso.

A sua habilidade como compositor foi-lhe útil em 1991, quando a sua música "The One And Only" apareceu na banda sonora do filme britânico, Buddy's Song, e no filme americano, Doc Hollywood. "The One and Only" foi primeiro nos tops para o intérprete de Buddy's Song, Chesney Hawkes. Em 1993, The Hollies tiveram um êxito relativo com outra canção de Kershaw, "The Woman I Love". Em meados dos anos 90, também escreveu e produziu material para a boysband Let Loose, com três das canções ("Seventeen", "Crazy" e "Everybody Say, Everybody Do") alcançando um sucesso razoável.

1999 viu o lançamento de "15 Minutes", uma colecção de canções que Kershaw considerava mais pessoal e madura. Kershaw revelou que decidiu gravar ele próprio estas canções pois não conseguia vê-las a serem gravadas por outros artistas. Tanto "15 Minutes" e o mais comercial "To Be Frank" (2001) eram diferentes, no estilo, do seu trabalho anterior, sendo acompanhadas por guitarra acústica e não por um sintetizador.

Durante os anos, Nik Kershaw colaborou em álbuns com artistas como Elton John, Bonnie Tyler, Tony Banks, Les Rythmes Digitales, Michael W. Smith e Imogen Heap.

Em 2005, Kershaw lançou "Then And Now", uma colecção de material do seu início de carreira com 4 novas faixas. Em 2006, ele completou outro álbum a solo, "You've Got To Laugh", disponível apenas no sei site e digitalmente através do iTunes. Este álbum continha 12 faixas e foi lançado pela sua própria editora, Shorthouse Records. Este ano também viu a reedição digital dos seus álbuns dos anos 80 incluindo "The Riddle", "Radio Musicola" e "The Works". Nem "Then and Now" ou "You've Got To Laugh" foram promovidos com uma tour.