MARCIANO

MARCIANO

José Marciano (Bauru, 1 de abril de 1951 — São Caetano do Sul, 18 de janeiro de 2019), conhecido como O Inimitável ou simplesmente Marciano, foi um dos maiores cantores brasileiros de música sertaneja. Dono de uma voz inconfundível, também foi compositor, e junto a outros poetas da música popular, foi responsável por grandes sucessos como "Fio de Cabelo", "Crises de Amor", "As Paredes Azuis", "Menina Escuta Meu Conselho", entre outros. Na dupla com João Mineiro, Marciano alcançou o auge da carreira com os sucessos "Seu Amor Ainda é Tudo" e " Ainda Ontem Chorei de Saudade". O cantor formou recentemente uma dupla com Milionário, que também perdeu seu parceiro José Rico, falecido em 2015. Marciano morreu na madrugada do dia 18 de janeiro de 2019, aos 67 anos, devido a um infarto agudo do miocárdio (infarto fulminante) em sua casa em São Caetano do Sul, São Paulo.

Começou cantando ainda criança, com o pai, em festas religiosas. Na adolescência, passou a apresentar-se em programas de rádio e televisão de sua região. Aos 16 anos, conheceu João Mineiro na região metropolitana de São Paulo. Com ele, formou a dupla João Mineiro & Marciano e fez grande sucesso entre os anos 1970 e 1990, com músicas como “Ainda Ontem Chorei de Saudade”, “Seu Amor Ainda É Tudo”, “Aline”, “Se Eu Não Puder Te Esquecer”, entre outras, muitas delas composições suas. A dupla João Mineiro & Marciano vendeu cerca de 10 milhões de discos, tendo 10 conquistado o disco de ouro, 5 conquistado o disco de platina e 2 de platina duplo, além de realizar turnê pelos Estados Unidos e comandar um programa semanal no SBT, nos anos 1980.

Durante a carreira, teve cerca de 150 composições suas gravadas por si mesmo ou por outros artistas sertanejos; entre elas sucessos como “Crises de Amor”, “No Mesmo Lugar (Coisa Estranha)”, “Esta Noite Como Lembrança”, “Paredes Azuis” e “A Bailarina”. Em 1977, Zico & Zéca gravaram sua música “Vou Levar Você”, no LP “Minha Graciosa”.

Em 1979, teve a música “Pensando Em Voltar”, parceria com Darci Rossi, gravada por Chitãozinho & Xororó, no LP “60 Dias Apaixonado”. Em 1980, Industrial & Fazendeiro gravaram “Você É Mais Forte Que Eu”, sua e de Darci Rossi, no LP “Corrida de Ouro – Vol. 3”. Em 1982, teve a música “Por Trinta Dias”, parceria com Darci Rossi, gravada pela dupla Cezar & Paulinho, no LP “Coração Marcado”. No mesmo ano, outra parceria sua com Darci Rossi, “Podes Me Negar”, foi gravada por Pedro Bento & Zé da Estrada, no LP “Serenata do Amor”.

Em 1983, sua parceria com Darci Rossi, “Fio de Cabelo”, foi gravada pela dupla Chitãozinho & Xororó, e tornou-se um marco ao ser uma das primeiras músicas sertanejas a fazer sucesso no Brasil todo. No mesmo ano, o Trio Parada Dura gravou “Nossas Brigas”, parceria sua com Mangabinha e Waldemar de Freitas Assunção, no LP “Luz da Minha Vida”. Em 1989, teve sua música “Vou Tirar Você Daqui”, parceria com Darci Rossi, gravada por Junio e Júlio, no LP “Junio e Julio Vol. 7”. No mesmo ano, teve sua parceria com Waldemar de Freitas Assunção, “Sozinho na Estrada”, gravada por Milionário & José Rico no LP da trilha sonora do filme “Sonhei com Você”, protagonizado por esta mesma dupla. Em 1990, seu principal parceiro em composições, Darci Rossi, gravou uma parceria dele com Marciano, “Vinho Rosé”. Em 1993, separou-se de João Mineiro e iniciou carreira solo.

Dessa forma, gravou 10 discos de carreira, e fez sucesso com músicas como “Massachussetts”, de Barry Gibb-Maurice e Gibb-Robin Gibb, com versão de Tony, Edy e Waldir dos Santos, “Paixão Proibida”, e “Champanhe”. Em 1998, seu sucesso “Miragem” integrou a trilha sonora da novela “Estrela de Fogo”, exibida pela Rede Record.

Em 2004, foi indicado ao prêmio Grammy Latino, na categoria “Melhor Disco de Música Romântica”, com o CD “Meu Ofício é Cantar”, gravado ao vivo e lançado pela gravadora Atração. Em 2009, lançou seu primeiro DVD ao vivo, “Marciano Inimitável”, comemorando 15 anos de carreira solo. O disco foi produzido por ele mesmo e teve participações especiais de Rick & Renner, Darci Rossi, Teodoro & Sampaio, Matogrosso & Mathias, Dani & Danilo e Milionário & José Rico. Sua composição “Fio de Cabelo”, em parceria com Darci Rossi, desde os anos 1980, é uma das músicas mais regravadas do estilo sertanejo, e tornou-se uma referência do segmento a partir dos anos 2000. Entre mais de 40 nomes que já gravaram a música, estão Bruno & Marrone, Fábio Júnior, Chitãozinho & Xororó, Tinoco & Zé Paulo, Ivan Villela, Zezé di Camargo & Luciano e Leonardo.

Desde 1993 esteve em carreira solo, em 1998 lançou o CD Encontros – o primeiro da sua carreira solo, onde teve a participação de grandes cantores como: Matogrosso, Perla, Sérgio Reis, Chitãozinho & Xororó, Alan & Aladim.

Em 2016, Marciano formou dupla com Milionário, da dupla Milionário & José Rico, que se chamava Milionário & Marciano, e eram empresariados por Sorocaba, da dupla Fernando & Sorocaba.

Marciano faleceu após sofrer um infarto fulminante, enquanto dormia em sua casa, em São Caetano do Sul, por volta das 2h da manhã do dia 18 de janeiro de 2019. Segundo a assessoria de imprensa do cantor, ele não apresentava nenhum problema de saúde.

Controvérsias
Em 2016, Marciano processou o filho, Fabiano Martins, que também é cantor, por danos morais e pedindo uma indenização de R$ 20 mil. Em entrevista ao EGO, Fabiano contou que o motivo seria uma publicação que ele fez em seu Facebook no dia 12 de abril, em que diz que o pai nunca o aceitou e o chama de mau-caráter. “Meu pai nunca se preocupou se estou bem ou mal e muito menos quis um dia conhecer seu neto, que é meu filho. O que me chama a atenção é hoje ele estar indo pra mídia e mostrando o lado bonzinho dele e enganando o Brasil todo como um cara fora de série. Por que ele não vai pra mídia e fala que ele bloqueou seu próprio filho de todas as suas redes sociais? Por que ele não fala pra mídia que ele barrou seu próprio filho no seu show? Por que ele não diz a mídia que enganou seu filho dizendo dar uma oportunidade e isso se faz oito anos e até agora nada? (..) Pra mim um pai que rejeita e nega seu próprio filho é ser mau-caráter”, diz parte da postagem.

Fabiano disse que descobriu o processo sem querer, quando teve um financiamento rejeitado para comprar um carro. “Falei com um amigo meu do Serasa que disse que eu tinha um processo. Ele falou: ‘O autor do processo é um tal de José Marciano, você conhece?’. ‘É meu pai, cara’”, conta o cantor, que tentou entrar em contato com o pai: “Mas ele mudou de telefone, não consegui”.

Procurada pelo EGO, a assessoria de imprensa de Marciano mandou um comunicado, lembrando que Ruth Martins, mãe de Fabiano, pediu pela primeira vez o exame de DNA em 1997, no Ratinho Livre, da Record. “O exame foi realizado sem qualquer resistência por parte de Marciano que prontamente aquiesceu à necessidade. Com a mudança de Ratinho para o SBT pouco tempo depois da citada reportagem, não houve confronto dos resultados tampouco solução quanto à evidência do teste”, diz o comunicado.

Anos depois, em 2014, Fabiano e Ruth procuraram o programa Balanço Geral, na Record, e um novo DNA foi pedido e a paternidade comprovada. “Marciano, ciente deste laço consanguíneo, escolheu estreitar o seu lar a Fábio com o fim de ampliar a convivência e fazê-lo membro da família. Este chegou a frequentar a casa de Marciano alguns meses, experimentando inclusive a reunião gratificante de natal junto não apenas de Marciano, mas de toda a família que o acolheu com a sensibilidade fraternal que a situação solicita”.

Segundo o comunicado, foi Fabiano que se afastou do pai: “O ponto grave da questão é que Fábio Martins, de forma mais evidente a partir de 2013 até o momento, vem fazendo inúmeras citações que remetem o cantor Marciano à exposição de expedientes vexatórios e extremamente desagradáveis, algumas das menções exibindo cunho leviano, envolvendo até familiares diretos de Marciano e estão anotadas principalmente nas redes sociais (Facebook), a desserviço da ética e da moral".

Em 2018, após ser reconhecido como filho de Marciano, Fabiano Martins fez um desabafo durante o programa Superpop, de Luciana Gimenez. Segundo o rapaz, ele não vai abrir mão da herança que tem direito e disse que está muito magoado com o famoso e a família dele. “Nem de pai dá pra chamar mais ele. Pede R$ 20 mil de indenização, ao invés de pedir perdão para mim, recorre, e vai perder de novo”, disse. Ele se referia à ação por danos morais movida por Marciano no ano anterior. “Depois que me tornei herdeiro dele, pegou mais ódio ainda. Nunca fui atrás de 1 real do meu pai, mas não vou abrir mão da herança, tenho o mesmo direito da filha dele”, desabafou.

Mesmo com a mágoa, ele disse que não se importa de conversar com o pai. No entanto, ele já não vê mais possibilidade. “Eu já perdi a esperança dele se reaproximar mas se acontecer, a gente conversa”, disse.

Discografia
Com João Mineiro

1973 - Filha de Jesus - Chororó
1974 - A Procura da Paz - Chororó
1975 - Chorarei ao Amanhecer - Chororó
1976 - Os Inimitáveis - Volume 4 - Chororó
1978 - Os Inimitáveis - Volume 5 - Chororó
1979 - Filho de Jesus - Chororó
1980 - Os Inimitáveis - Volume 7 - Copacabana
1981 - Esta Noite Como Lembrança - Copacabana
1983 - Viciado Em Você - Copacabana
1984 - Amor e Amizade (Dia sim, Dia Não) - Copacabana
1986 - João Mineiro & Marciano - Volume 11 - Copacabana
1988 - João Mineiro & Marciano - Volume 12 - Copacabana
1989 - João Mineiro & Marciano - Volume 13 - Copacabana
1990 - Saudade - Copacabana
1990 - Tarde Demai