LLOYD COLE AND THE COMMOTIONS

LLOYD COLE AND THE COMMOTIONS

Tudo começou em 1982, quando este cantor, compositor e músico inglês se mudou para Glasgow, na Escócia, com o intuito de estudar filosofia. Por lá, encontrou um time afiado de músicos, e montou seu próprio grupo, Lloyd Cole & The Commotions. Apenas dois anos se passaram, e já haviam lançado seu disco de estréia, o sublime Rattlesnakes .

Até 1989, mais dois álbuns, Easy Pieces (1986) e Mainstream (1988), que lhes proporcionaram fãs nos quatro cantos do mundo, embora não tenham obtido grande repercussão no principal mercado mundial, o americano. Em 1990, a banda anunciou seu fim. Cole se mudou para Nova York e iniciou uma carreira solo que, embora tenha diversos momentos de qualidade comparável aos tempos dos Commotions, obteve até agora menos repercussão do que mereceria. Anti Depressant , novo CD solo, acaba de sair lá fora.

Não são poucas as qualidades de Lloyd Cole, que completou 45 anos de idade no dia 31 de janeiro. De cara, sua bela voz, de timbre grave, espécie de versão mais soft da de Lou Reed. O som, uma fusão melódica e bem concatenada de folk, pop, rock e country, cativa pelo bom gosto, arranjos sempre delicados e bem resolvidos e letras que fogem do lugar comum. Os três discos dos Commotions são excelentes, incluindo maravilhas como a dançante/oriental Rattlesnakes , os pop rocks sacudidos Perfect Skin e Brand New Friend , os roquinhos deliciosos a la sixties Lost Weekend e Charlotte Street , as líricas Jennifer She Said e Are You Ready To Be Heartbroken . Da carreira solo, confira especialmente os CDs Don’t Get Weird On Me Babe (1991), Love Story (1995) e The Negatives (2001).