LINCON & LUAN

LINCON & LUAN

Por volta de 1983, aos cincoanos, na pequena Assis Chateaubriand, no Paraná, Lincon já cantava com seu avô, e arranhava os primeiros acordes em um velho violão, que guarda até hoje. Seus pais trabalhavam como bóias-frias no Mato Grosso, onde se separaram. Enquanto isso, em Maringá, no mesmo estado do Paraná, o pequeno Luan, de um ano de idade, acordava e ia dormir ao som do rádio - e também se contagiava com as modas sertanejas que embalavam a família. Precoce como Lincon, Luan estreou sua voz já forte por volta de 1989, em festivais e programas de rádio. Para aquelas duas crianças, já havia um sonho - formar uma dupla sertaneja. E a dureza da vida prática.
Assim foi por muitos anos: a luta cotidiana em empregos na lavoura, ou como cortador de lenha em uma churrascaria, gari ou balconista de bar (Lincon), ordenhador e entregador de leite, ou mecânico (Luan). Mas a força da música sempre esteve presente. Lincon, com nove anos, ganhou uma gaita trovante de sua tia, com a promessa de que, se passasse de ano na escola, ganharia um teclado. com grande dededicação, dominou o instrumento e os estudos, e a tia cumpriu a promessa - a partir daí, Lincon começou a tirar músicas pelo rádio, montou sua primeira bandinha de festas, cantou em gincanas, tocou na igreja e estudou piano por três anos.
Sempre paralelamente aos outros empregos, montou sua primeira dupla aos 17 anos, fazendo a segunda voz que o tio ensinara: "Você tem que cantar grosso", o tio dizia rindo. Luan trabalhava como mecânico com o pai mas, desde os cinco anos, quando começou a ganhar concursos de cantor de rádio pelo telefone, nunca mais se afastou do mundo artístico, frequentando programas e rodeios, até se profissionalizar em bandas de baile.
Ser reconhecido pelo talento nem sempre é fácil. Mas o vento sempre esteve a favor da simpatia de Lincon e Luan que, com carisma e com uma música encantadora como "Moldura" (incluída no cd Amor Sertanejo, da Som Livre), e todo um repertório apostando na satisfação das platéias, viram seu esforço finalmente ser recompensado. Tocando em algumas das maiores rádios do Brasil, trabalhando com um produtor como Reinaldo Barriga (Chitãozinho e Xororó, Christian e Ralf) e com ótimos músicos, em um excelente estúdio, viram a sua música soar melhor do que nunca, e começaram a ser reconhecidos e chamados a dividir o palco com César Menotti e Fabiano, Gian e Giovani, Bruno e Marrone, Edson e Hudson, Victor e Leo, João Bosco e Vinícius, duplas que, para eles, são exemplo de realização. E os sucessos se seguem: "Diga Sim Pra Mim", "Lábios Divididos", "Tcham Tcham Tcham", "Na Beira da Praia"... Essa é a história de Lincon e Luan - uma história já tão longa e que, no entando, está apenas começando...
(Fonte: Site Oficial)