KARINA

KARINA

KARINA

Texto de Haroldo Costa

Atenção, porque vai dar o que falar. Surge no painel do samba uma jovem cantora com atributos vocais que com toda certeza surpreenderá a muitos.

Veja só, nascida em Curitiba, o seu contato com a música se deu por meio das atrações nacionais que passavam pela capital paranaense ou os programas de tevê. Alem do mais ela cantava de tudo, seus tios, muito musicais, tocavam vários instrumentos de percussão e carregavam a menina Karina para os shows e festivais de música infantil incentivando-a a se apresentar, o que ela fazia sempre dando um cunho pessoal às interpretações, aliada a uma natural expressão corporal que não poderia deixar de ser notada.
A avó foi sua grande incentivadora e, como também tinha pendores artísticos, "brincavam" de cantoras nas reuniões familiares. Quando a família mudou-se para Santa Catarina, os horizontes de KARINA se alargaram e ela chegou até a cantar no Oktober Fest em (Blumenau), a festa mais importante da região e umas maiores do país, quando só tinha 16 anos.

Abriu shows de Ivete Sangalo, Oswaldo Montenegro, João Bosco, Leila Pinheiro e durante dois anos consecutivos participou do Festival de Chorinho no Teatro Juarez Machado, também em Joinville e em Florianópolis onde recebeu grandes homenagens como intérprete especial, inclusive duas placas comemorativas.

Sua vinda para o Rio, a convite de um empresário que a ouviu em um dos muitos shows que ela fez pelo litoral do Paraná e Santa Catarina, realmente abriu todos os horizontes. Conheceu Leandro Sapucahy que, encantado por sua voz, pensou logo em produzir um disco. E foi convocando uma seleção de compositores que logo aceitaram o chamado, encantados com a voz e a interpretação original de KARINA. Leandro e Arlindo Cruz, artistas fixos do programa Esquenta, da Regina Casé, convidaram-na para assistir a gravação do programa, no Projac, uma vez lá, não perderam tempo, apresentaram Karina à Regina, por se tratar de uma das melhores cantoras de Santa Catarina e, diante deste argumento Regina a convidou para cantar com Arlindo a música “ Quando falo de amor”, foi o que bastou. Ganhou imediatamente o carinho do público, e da Regina também.

E foram chegando composições de Arlindo Cruz, que fez questão de se auto proclamar o padrinho da mais nova revelação do samba, mas também de Carlinhos Brown, Serginho Meriti, Luiz Cláudio Picolé, Claudemir, Bráulio Araújo, Rodrigo Leite, João Martins, Diney, Gilson Bernini, Julinho Santos, Gegê D’angola, Mi Barros, Fátima Lima, Ricardo Moraes, Dado, Davi Moraes, Pedro Baby, Rosana Silva, Luizinho To Blow, Almir Guineto e Fred Camacho.

Entre os músicos que foram espalhando o seu som nos estúdios Cia.dos Técnicos e Estúdio Sapucahy, estiveram Jota Moraes, Valério Brair, Jerominho Fernandes que foram responsáveis também pelos arranjos do disco Dirceu Leite, Camilo Mariano, Bóris, Mauro Diniz, Gordinho, Jorginho Trompete, Neni Brown, Dudu Dias, Netti Bonfim, Karla Prietto, Marcos Ancanjo, Bruno Gama, Luciano Broa e o próprio Leandro Sapucahy, fazendo um tapete sonoro para KARINA deixar passear seu canto e o irresistível talento.

QUANDO FALO DE AMOR
AMOR CALMO
PRIMEIRO SAMBA
DESTEMPERO
SEM SAPATO ALTO
NÃO ME COMPARE COM NINGUEM
SAMBA DO DJAVAN
A LINHA FINA
CENTRO DA SAUDADE
AMOR DE MORENA
SENTENÇA
VAI EMBORA TRISTEZA
DIGA
VOCÊ MERECE SAMBA

São os títulos que compõem este álbum tão surpreendente e comprobatório de que o samba está sempre pronto para dar o seu recado, como é o caso deste que KARINA envia direto pra gente :
VOCÊ MERECE SAMBA!

Seja muito bem vinda KARINA.